Formar leitores, é possível?

Foto ilustrativa|pixabay.com

 

No livro “Criar Leitores – para professores e educadores”, José Morais, descreve o que acontece no cérebro de uma criança quando ela inicia os processos de leitura e escrita, considerando a psicologia cognitiva e a neurociência como grande aliadas no processo de alfabetização. 

Para obter a ciência da leitura, Morais indica que é necessário dar os primeiros passos na compreensão da linguagem escrita, ou seja, aprender que letras representam sons, daí começar a andar, que significa ler para desenvolver hábitos de leitura e, por fim, correr, isto é, ler com fluência e compreender o que está escrito. 

Neste sentido, a aprendizagem da leitura não se estabelece, exclusivamente, quando a criança entra na escola. As crianças, desde muito pequenas, precisam experienciar o universo da leitura sendo despertadas para os livros, quando os pais contam histórias para elas, quando veem os pais lendo, assim despertam para esse mundo letrado antes mesmo do processo de alfabetização. 

 

É importante o incentivo da leitura na vida da criança | Foto: Natanael Prado/instituto.cancaonova.com

 

Para formar leitores, os pais devem se comprometer em criar hábitos de leitura e adquirir o gosto por contar histórias para seus filhos, bem como, promover passeios à biblioteca e livrarias, a criança ao perceber que a leitura é algo importante na rotina familiar, certamente escolherá os livros.

Para criar leitores, a escola deve inicialmente oferecer formação específica para os educadores, contribuindo no ensino apropriado para desenvolver a leitura e a escrita, com estímulos adequados para cada faixa etária, tendo como base os estudos da neurociência e psicologia cognitiva. Além disso, incluir projetos pedagógicos que incitem o interesse, a prática e hábitos de leitura. 

Com Amorevolezza,


Ana Luiza

Ana Luiza Lopes Sinieghi nasceu em Aracaju/SE. É missionária na Canção Nova desde 2006. Cursou Pedagogia na Universidade Federal de Sergipe e é pós-graduada em Gestão Democrática, pela Universidade de Taubaté (UNITAU). Atualmente cursa mestrado e atua no Instituto Canção Nova como Diretora-Adjunta.