Sistema Preventivo de Dom Bosco

 

Padre Ángel Fernández Artime, reitor-Mor dos Salesianos, entre os alunos no Instituto Canção Nova | Foto: Eugênia Fraante\instituto.cancaonova.com

 

A prática do Sistema Preventivo de Dom Bosco fundamenta-se nas palavras de São Paulo: Charitas pattiens est omnia suffert omnia sperat, omnia sustinet (I Cor 13, 4-7). “A caridade é paciente, é benigna, tudo sofre, mas espera tudo e suporta qualquer desânimo”. Por essa razão, somente o cristão pode aplicar com eficácia o sistema preventivo. A razão, a religião e o “amorevolezza” são meios que o educador deve usar para ensinar crianças e jovens.

 

 

Dom Bosco recomendava: os alunos jamais devem ficar sozinhos. Sempre que possível, devem estar acompanhados por um educador, mediador, colaborador ou o próprio diretor nas atividades de lazer, estudos, tarefas e passeios da escola. Por quê? Para evitar a ociosidade, para prevenir contendas, inimizades, brigas, desavenças, desafetos e discussões. O olhar atento do educador previne esses comportamentos.

 

Alunos acompanhados por educadores e colaboradores |Foto: instituto.cancaonova.com

 

No entanto, não há que se privar a liberdade dos jovens. Deve-se permitir que eles corram, pulem, cantem, gritem à vontade. Este barulho, quando reflexo de uma alegria bem vivida, é sadio. Nas escolas de Dom Bosco, as que vivem seu sistema preventivo, dá-se valor aos momentos de ginástica, música, declamação, teatrinhos e passeios.

 

Apresentação dos alunos na Feira do Saber | Foto:instituto.cancaonova.com

 

Quando o Cônego Vogliotti visitou o Seminário Menor de Giaveno que, no seu primeiro ano de fundação, fora temporariamente confiado a D. Bosco, ao ver nos pátios a barra-fixa, o passo de gigante, as paralelas e outros apetrechos de ginástica, exclamou: “Vê-se bem que D. Bosco passou por aqui!

 

Hora do Parquinho na Educação Infantil | Foto: Eugênia Fraante\instituto.cancaonova.com

 

A alegria e a liberdade promovidas com amor e respeito previnem tantos males e, como bem dizia Dom Bosco: “os meninos gostam dos que amam a vida deles”. A prática desse belíssimo programa de vida e de educação, criado por Dom Bosco, deseja formar crianças e jovens, alegres, sempre alegres, capazes de transformar o mundo sendo bons cristãos e honestos cidadãos.

Leia também:

Que tal humanizar a educação?

A importância da Neurociência na educação escolar

Uma escola com cara de família

Com amorevolezza,


Ana Luiza

Ana Luiza Lopes Sinieghi nasceu em Aracaju/SE. É missionária na Canção Nova desde 2006. Cursou Pedagogia na Universidade Federal de Sergipe e é pós-graduada em Gestão Democrática, pela Universidade de Taubaté (UNITAU). Atualmente cursa mestrado e atua no Instituto Canção Nova como Diretora-Adjunta.